Hospital Guararapes participa de programa para estimular parto normal no Brasil

O projeto Parto Adequado tem o objetivo de discutir procedimentos inovadores para a realização do procedimento natural de nascimento

 

O parto normal oferece vários benefícios para a mãe e o bebê, como a recuperação mais rápida da mulher, a diminuição de riscos de infecção e a estimulação do sistema respiratório da criança. Apesar disso, de acordo com o Ministério da Saúde, mais da metade das brasileiras optaram pelo parto cesariano em 2016. Dentre os nascimentos no Sistema Único de Saúde (SUS), 50% das mães optaram por este procedimento. Já nas unidades privadas, o percentual chega a 90%. O ideal para o Brasil seria uma taxa de cesariana em torno de 15% em pacientes de risco habitual. Para discutir sobre os modelos inovadores de parto normal e como estimular a escolha pelo nascimento natural da criança, o Hospital Guararapes (HG) participa do Projeto Parto Adequado.

O programa foi desenvolvido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) e o Institute for Healthcare Improvement (IH), com o apoio do Ministério da Saúde, e tem o objetivo de qualificar os profissionais da área obstétrica para oferecer às mulheres e aos bebês o cuidado certo antes, durante e após o parto. O projeto propõe uma série de treinamentos e mudanças a serem realizadas no período de dois anos pelo centro hospitalar, a fim de estimular o procedimento natural de nascimento.

Em Pernambuco, o Hospital Guararapes é a única unidade médica privada participante do projeto. Segundo a médica coordenadora obstetrícia do HG, Helaine Rosenthal, a taxa de partos normais na unidade é de 60%, um número compatível com os de países desenvolvidos, mas o objetivo é que esse percentual cresça ainda mais. “A participação no Projeto Parto Adequado nos dá mais visibilidade e credibilidade junto à população e também às operadoras de saúde, como um hospital em constante mudança, visando o melhor para os nossos pacientes. É de muito interesse termos um percentual de parto normal ainda maior e com toda segurança ao binômio mãe-feto. Para isso, o hospital conta com uma equipe de obstetras de plantão perfeitamente qualificada para atuar da forma mais fisiológica e segura possível”, pontua. Ainda sobre a equipe, o HG possui enfermeiros obstetras no quadro do hospital, ponto defendido pelo projeto que ressalta a importância da atuação desse profissional especializado visando uma qualidade maior na assistência prestada e principalmente na humanização do parto.